Assassinos do soldado Pessoa fugiram na megarrebelião de Alcaçuz

Equipe da Defur apresentou o trio de criminosos

Hoje a Polícia Civil apresentou três homens envolvidos na morte do soldado Daniel Pessoa, ocorrida em 31 de janeiro, durante um assalto a uma joalheria do Norte Shopping. Inclusive o cara que atirou covardemente no PM, pelas costas, Edvaldo Neto, um lutador de Muay Thay de Belém do Pará. Um cara ainda está foragido, um tal de Francisco Danilo, o “Dan Dan”.

A prisão da maior parte da quadrilha dá um sentimento de justiça difícil de descrever. Conversei com policiais que participaram da ação e eles disseram que quando puseram a mão no Edvaldo, dentro da academia em que ele treinava, lembraram dos familiares do soldado Pessoa. De fato, foi um trabalho meticuloso, bem orquestrado, perfeito. E todos aqueles que participaram de alguma forma devem se orgulhar.

Mas ao mesmo tempo, saber de alguns detalhes de toda essa tragédia, dá uma revolta gigante. Para início de conversa, três dos suspeitos fugiram durante aquela brincadeira dos presos de Alcaçuz em janeiro deste ano, patrocinada pela moleza do governo do Estado. O quarto homem, exatamente o que atirou no soldado, ficava do lado de fora do presídio em um carro, dando fuga pra galera.

O lutador é membro de uma facção criminosa e veio do Pará mandado por ela, para atuar em Natal. Mataram um PM e seguiram suas vidas normalmente. A quadrilha trafica drogas mas decidiu empreender na explosão de caixas eletrônicos, e o assalto à joalheria do shopping serviria para comprar as armas longas, como fuzis, e explosivos.

São tantos absurdos. Que a gente nem sabe por onde começar a se revoltar. Agora é esperar o quarto integrante ser preso e que eles não fujam na próxima rebelião de Alcaçuz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *