MP denuncia Hilneth Correia como “fantasma” da Assembleia e pede devolução de R$ 500 mil

whatsapp-image-2016-11-07-at-19-39-41

O Ministério Público estadual denunciou hoje a colunista social Hilneth Correia como “funcionária fantasma” da Assembleia Legislativa e está pedindo na justiça a devolução de R$ 500 mil, que é a grana que ela teria recebido para não trabalhar entre os anos de 2011 e 2016. Foram denunciados ainda o secretário geral da casa, Augusto Viveiros, e mais três servidores, por maquinarem os desvios de recursos para pagar o salário da colunista.

Durante as investigações foram pedidas as quebras de sigilo telefônico, telemático (internet), fiscal e bancários de Hilneth. A peça da denúncia traz diversas conversas da jornalista onde fica evidenciado, segundo o MP, o fato de que a colunista não pisava na casa legislativa, e que só passou a fazê-lo depois do tumulto criado em cima da lista de comissionados que veio a público no início deste ano.

O MP considera ter comprovado que Hilneth então foi lotada no Memorial da Assembléia, onde dava uma passada de vez em quando para ser vista, segundo orientação do próprio Augusto Viveiros. Os promotores solicitaram a empresas aéreas o demonstrativos de várias viagens realizadas pela colunista em dias úteis, quando ela deveria estar em tese, trabalhando.

Na própria denúncia o MP traz resumida a defesa da jornalista. Hilneth disse em depoimento que trabalhava na assessoria de imprensa da presidência, que divulgava as ações da Alern, que viajava para cobrir o projeto Assembleia Cidadã, no interior do estado, que trabalhava ainda no tal Memorial, no projeto da criação de uma rádio da Alern e num projeto de prevenção ao Câncer de Mama.

Hilneth, Augusto Viveiros e os outros suspeitos foram denunciados por peculato. A soma total a ser devolvida é de R$ 491.525,13 corrigido monetariamente e acrescido de juros;

Quem quiser baixar e ler a denúncia completa, é só clicar no link abaixo. Eu recomendo. É massa.

denuncia-alrn

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *